Dia do Cerrado é lembrado pela Prefeitura Municipal em evento na Praça Olho D’água

A Prefeitura de Jataí, por meio das Secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo e Cultura, com apoio da Fundação Raízen, realizou na manhã desta segunda-feira (11), na Praça Olho D’Água, evento em comemoração ao Dia Nacional do Cerrado, local onde foram realizadas diversas atividades com objetivo de conscientizar a população sobre a importância deste bioma. Na ocasião, estiveram presentes a vice-prefeita de Jataí, Simone Oliveira Gomes, o secretário de Meio Ambiente e Urbanismo , Adenones Agustinho de Freitas, o secretário de Cultura, Gênio Eurípedes Cabral de Assis, o superintendente de Turismo, Amilton Gonçalves e outros servidores da administração municipal. Além disso, também estiverem presentes ao evento, o escritor jataiense, Greves de Oliveira Lima, a ambientalista Flomar Chagas, o naturalista,Binômio da Costa Lima, conhecido como Meco, o analista ambiental da Raízen, Leandro Cavalcante, o professor e historiador, Arioldo Rocha, além de alunos e colaboradores da Fundação Raízen e alunos de outras instituições de ensino da cidade. O evento foi marcado pelo plantio de mudas de arvores nativas do cerrado, distribuídas pela Fundação Raízen – ipês, goiabeiras, tamarindeiras, jatobazeiro e quaresmeira – momento em que a primeira muda foi plantada em homenagem ao naturalista, Binômio da Costa Lima. Cerrado O Cerrado é um tipo de vegetação que já ocupou 25% do território brasileiro, fato que lhe deu a condição de segunda maior cobertura vegetal do país, superada somente pela floresta Amazônica. O clima é tropical e apresenta duas estações bem definidas: uma chuvosa, entre outubro e abril e outra seca, entre maio e setembro. A vegetação é adaptada para as duas estações, as folhas caem no período de estiagem e possuem raízes profundas. Possuem subsistemas como campos, cerrados, cerradões, matas, matas ciliares, veredas e ambientes alagadiços. O Cerrado abrange os estados da região Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal), além do sul do Pará e Maranhão, interior do Tocantins, oeste da Bahia e Minas Gerais, bem como o norte de São Paulo e já ocupou uma área de 2 milhões de km2, entretanto, hoje são aproximadamente 800 mil km2, fato que se deu pela intervenção humana no ecossistema.


Fonte: DECOM/PMJ


Metas470x170.jpg